Aquiles

Era filho da união entre Peleu com Tétis, a mais bela das nereidas. Casada a contragosto, não se conformava com a mortalidade dos filhos que gerava e por isso, a cada nascimento, expunha o novo rebento ao fogo da imortalidade. Seis de seus filhos já tinham falecido em decorrência dessa prática quando Peleu a surpreendeu com a sétima criança sobre o crepitar do fogo. O rei arrebatou Aquiles de seus braços quando ainda faltava queimar-lhe um único calcanhar. Em outra versão, Tétis, em sua ânsia de transformar o filho em imortal, mergulhou a criança nas águas do rio Estige, segurando-a pelo calcanhar, ponto que se tornou vulnerável visto que não havia sofrido contato com as águas milagrosas do rio. Irada com a intromissão de Peleu, a nereida partiu, deixando o filho aos cuidados do marido, mas sempre acompanhando seus passos à distância.

Quando Calcante, célebre adivinho, predisse que a presença de Aquiles seria indispensável para vitória dos gregos em Tróia e que lá sua vida seria ceifada, Tétis, desesperada, resolveu intervir escondendo o jovem em Ciros, na corte do rei Licomedes. Sob o nome de Pirra, que significa a ruiva, vivia entre as filhas do rei disfarçado de mulher. Dessa convivência, o herói se fez revelar a Deidâmia, uma das filhas do rei e com ela gerou Neoptólemo. Foi inútil a tentativa de ocultar o filho porque Ulisses o descobriu ao simular uma invasão. As filhas do rei correram amedrontadas e somente Aquiles apresentou-se para a luta, revelando sua verdadeira origem e identidade.

Advertido por Tétis, sabia que se partisse, teria uma vida cheia de glórias, porém curta. Se ficasse, seria um mortal desconhecido mas com uma vida longa. Aquiles optou pela primeira opção e partiu para a guerra. Sucedeu que Agamemnon , tendo tomado para si Criseide como escrava, negava-se a devolvê-la ao pai, Crises, sacerdote de Apolo que a reclamava. Como uma peste enviada por Apolo assolasse seu acampamento, Agamemnon decidiu lhe devolver a filha mas em compensação exigiu Briseis, escrava favorita de Aquiles. Feito isso, Aquiles sentindo-se ferido em seu orgulho, retirou-se do combate. Imediatamente os gregos começaram a fracassar em suas investidas e estavam ameaçados de ser liquidados pelos troianos, quando Aquiles, movido pela necessidade de vingar seu amigo Pátroclo, morto pelos inimigos, retornou à peleja. Entrou em combate e matou Heitor, assassino de seu grande amigo.

Em seguida, amarrou seu corpo a seus cavalos e o arrastou ao redor das muralhas da cidade.

Fonte:

https://www.algosobre.com.br/mitologia/

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.

  • Diego

    Que braba, véi

  • Alberto

    Rapaz!

  • Sarah

    Amei este site. Sempre matando minha curiosidade.