Cérebro de passarinho?

O cérebro humano armazena memórias de eventos passados para guiar a tomada de decisão sobre situações do presente e eventos futuros. Pesquisadores, há um bom tempo, assumiram que os demais animais não utilizavam suas memórias dessa mesma forma, mas que eles estavam presos às necessidades do presente, sendo incapazes de planejar o futuro.

Estudos feitos com primatas não-humanos e corvídeos desafiam esse ponto de vista e apresentam espécies que são capazes de deliberar sobre o futuro tão bem quanto uma criança de 4 anos de idade.  Esses resultados sugerem que o planejamento para o futuro não é uma característica unicamente humana. Em páginas do ensaio, os cientistas mostram que esses pássaros antecipam o ambiente, momento e localização de um futuro evento baseados em experiências passadas. O comportamento dos corvos não é tão comum, antecipando estados futuros, em vez disso, eles, de forma flexível, aplicam esse planejamento futuro em comportamentos que não são vistos tipicamente no meio selvagem.

Embora para alguns corvídeos criar e utilizar ferramentas seja parte de sua predisposição ecológica, corvos não são considerados como aqueles que são capazes de utilizar de ferramentas e não conhecidos, também, por trocar itens por alimento.

Os autores do estudo presentearam cinco corvos com a escolha de objetos, dos quais apenas um era uma ferramenta funcional, que poderia ser utilizada para obter alimentos de uma caixa quebra-cabeça. Eles fizeram a escolha certa não apenas quando eram posto a frente da caixa, mas também quando tinham que armazenar a ferramenta e planejar para o próximo dia. Em um experimento, os animais foram treinados para trocar itens por comida. Quando eles sabiam que a troca somente ocorreria no próximo dia, eles escolhiam esses objetos e os armazenavam assim que eles fossem oferecidos.

Os resultados dos dois experimentos demonstraram que corvos mantêm uma distância temporal entre a escolha do item e a obtenção da recompensa, um verdadeiro exercício de autocontrole, e tomam decisões pela previsão do futuro, ao contrário daquelas arbitrárias. Assim, os pássaros optaram por uma espera maior para uma maior recompensa do que por uma espera menor com menor recompensa, e fizeram isso através da flexibilização de seus comportamentos.

Fonte: science

Todas as imagens desta página foram utilizadas apenas para ilustrar o post, as mesmas pertencem ao(s) seu(s) legítimo(s) proprietário(s), por direito.

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.