Cientistas acampam em vulcão do Havaí para simular vida em Marte

 

Como seria a vida em Marte?

Para simular a vida no Planeta Vermelho, cientistas americanos decidiram montar o acampamento durante oito meses no vulcão Mauna Loa, no Havaí.

Até agora, o homem ainda não  conseguiu ir para Marte.

Enquanto isso não acontece, tenta reproduzir situações que encontraria no vizinho da Terra, inclusive algumas intempéries, como uma tempestade de radiação.

O projeto, chamado HI-SEAS, é financiado pela Universidade do Havaí.

Colonização em Marte

Depois da Terra, Marte seria o planeta mais habitável do sistema solar e tem sido considerado como um dos principais candidatos à colonização humana extensiva e permanente, não apenas por estar mais próximo ao nosso planeta, mas também pelas condições da sua superfície – que são mais semelhantes às da Terra, comparativamente a outros planetas do Sistema Solar -, destacando-se, por exemplo, a disponibilidade de águas superficiais, embora congeladas, em Marte.

Os obstáculos – Os astronautas que viajarem para Marte podem passar até três anos no espaço, onde a radiação é alta e, portanto, são maiores os riscos de desenvolver câncer, perder densidade óssea e sofrer problemas imunológicos, entre outros problemas de saúde.

A gravidade de Marte também é menor (1/3 da terra). Dificultando ainda mais a colonização. Marte também não tem mais o seu campo magnético recebendo boa parte da radiação do sol. Existem muitas questões em aberto de como manter o ser humano por muito tempo em Marte.

Fonte : BBC

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.