Especial Zodíaco: Câncer, o caranguejo de estimação de Hera

Nesse quarto capítulo, passamos a falar de Câncer, o nome embora assustador para muitos na modernidade por se tratar de um problema de saúde grave, na verdade, refere-se a Carcinus uma forma latinizada de Karkinos, uma criatura da forma de um caranguejo que faria parte da mitologia grega.

A constelação é de tamanho médio e suas estrelas possuem um brilho fraco, entre elas a mais brilhante é Altarf, ou Beta Cancri, e duas delas possuem planetas conhecidos a orbitá-las, a 55 Cancri tem cinco: uma Super-Terra e quatro gigantes gasosos, um destes está na zona habitável e acredita-se que tenha temperatura similar à terráquea. No centro da constelação está Presépio, Messier 44, um dos aglomerados de estrelas mais próximos da Terra.

É dito que Câncer teria sido o local para o Sol Acadiano do Sul, talvez por ser sua posição no solstício de verão numa antiguidade remota. Mas depois ela foi associada ao quarto mês Duzu, e ficou conhecida como Portal Setentrional do Sol.

Um dos paralelos mais importantes da Terra tem o nome de Trópico de Câncer que recebeu essa denominação porque estudiosos da antiguidade perceberam que os solstícios no Hemisfério Norte aconteciam quando o Sol estava posicionado na constelação de Câncer.

Por possuir poucas estrelas, e as mais brilhantes serem apenas de quarta magnitude, Câncer era frequentemente considerado um Signo Negro, geralmente descrito como preto e sem olhos.

Mitos:

O símbolo moderno de Câncer representa as pinças de caranguejo, mas a constelação já fora a representação para várias criaturas, geralmente que viviam nas águas, e sempre aquelas com um exoesqueleto.

Nos escritos egípcios, por volta de 2000 a.C., ela foi descrita como sendo o escaravelho, um emblema sagrado de imortalidade. Na babilônia a constelação foi conhecida como MUL.AL.LUL, um nome que se referiria tanto a caranguejo quanto a uma tartaruga-aligátor, ou tartaruga-mordedora. Em registros em pedra, a imagem de uma tartaruga aparece regularmente e é acreditado que a representação de Câncer como um caranguejo convencional não fora tão longe, levando em consideração essa descoberta nesses monumentos. Parece existir também uma forte conexão entre a constelação babilônica e as ideias de morte e passagem para o submundo, que poderia ser a origem das ideias, mais tarde, associadas a Hécules e a Hidra.

No século 12, um manuscrito astronômico ilustrado a mostra como sendo um besouro d’água. Uma tradução do latim, de 1488, descreve Câncer como uma grande lagosta, que também é o nome da constelação em muitas línguas germânicas.

O caranguejo:

A criação da constelação é descrita na mitologia grega através de uma associação do caranguejo Karkinos com um dos Doze trabalhos de Hécules, no qual o herói  batalhou com a Hydra de Lerna. A deusa Hera teria enviado Karkinos para distrair Hécules e colocá-lo em desvantagem durante a batalha, mas o semi-deus despachou o caranguejo rapidamente através de um chute, com tanta força que arremessou o animal em direção ao céu. Hera recompensou o esforço de Karkinos colocando o caranguejo entre as estrelas celestes. Alguns estudiosos sugerem que Karkinos fora adicionado mais tarde ao mito de Hércules na intenção de fazer a correspondência dos Doze trabalhos de Hércules com os doze signos do Zodíaco.

Post anterior: Gêmeos e a amizade eterna

Post seguinte: O Leão de Nemeia

Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Cancer_(constellation)

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/tropicos-cancer-capricornio.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Messier_44

https://pt.wikipedia.org/wiki/Chelydra_serpentina

http://www.theoi.com/Text/HyginusAstronomica2.html#20

Todas as imagens desta página foram utilizadas apenas para ilustrar o post, as mesmas pertencem ao(s) seu(s) legítimo(s) proprietário(s), por direito.

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.