Galáxias – Tudo o que você precisa saber!

As Galáxias

Uma galáxia é um conjunto de estrelas, poeira e gás unidos pela gravidade. Numa galáxia comum pode haver em torno de 200 bilhões de estrelas. No universo observável estima-se que existam em torno de 100 bilhões de galáxias.

Tipos de Galáxias

Galáxias -  Tudo o que você precisa saber!
Tipos de Galáxias

As galáxias podem ser dividas de acordo com o seu formato, que basicamente são três: as galáxias espirais (que são as mais comuns); as elípticas e as irregulares. Evidências apontam que no centro de algumas galáxias haja um buraco negro supermassivo, alguns com massa de milhões de sóis.

Antes das descobertas das galáxias

Inicialmente, antes das descobertas das galáxias como ás conhecemos hoje, acreditava-se que nossa galáxia era todo o universo: as estrelas que víamos eram únicas, e mais além dessas estrelas, existia apenas a escuridão de um espaço sem fim.

Muitos homens olhavam o céu com admiração e encanto – alguns desses tentavam descobrir os segredos que a tortuosa escuridão cósmica escondia. No entanto, esses mistérios escondidos só começaram a ser revelados com o advento do telescópio. A partir desse advento começou uma era de grandes descobertas. Com os telescópios à mão voltamos nossos olhos para o céu, e vimos coisas que a olho nu não podíamos enxergar.

Era dos Telescópios

Com os telescópios à mão voltamos nossos olhos para o céu, e vimos coisas que a olho nu não podíamos enxergar. Astrônomos observavam pequenas nuvens difusas no céu, e mesmo com os melhores telescópios da época esses objetos eram enxergados apenas como nuvens difusas, não tendo como discernir se elas tinham ou não conteúdo estelar.

Nebulosas Espirais

Em 1845, William Parsons construiu um telescópio de 72 polegadas. Com a ajuda desse equipamento poderoso ele conseguiu determinar que algumas dessas nebulosas tinha uma estrutura em forma espiral. Devido a essa forma peculiar, esses objetos foram chamados de “nebulosas espirais”.

Durante muito tempo intensos debates foram gerados para se discutir a natureza das “nebulosas espirais”. Afinal, esses objetos eram ou não parte da galáxia Via Láctea? Não se sabia ao certo a resposta, entretanto, dois astrônomos trabalhando no Mount Wilson Observatory, cujos nomes são Harlow Shapley e H. D. Curtis iniciaram uma intensa discussão sobre este assunto: as “nebulosas espirais pertenciam ou não à nossa galáxia? Enquanto Shapley acreditava que as “nebulosas espirais” eram partes distantes da nossa galáxia, Curtis dizia que eram galáxias inteiramente independentes da nossa.

Edwin Powell Hubble

Hubble conseguiu então estabelecer, sem qualquer dúvida, que as “manchas nebulosas” que víamos no céu com os telescópios menores não faziam parte da nossa galáxia. Esses objetos eram outras galáxias, um conjunto de bilhões de estrelas em interação gravitacional mútua. Começava-se, então, a compreender que o universo era formado por milhões e milhões de galáxias, de diferentes formas e tamanhos, cada uma delas com bilhões de estrelas.

Referências

  1. https://goo.gl/nnVcYb
  2. https://goo.gl/auJegf
  3. Leia também : Paralisia do Sono – Tudo o que você precisa saber

 

 

 

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.