Os mitos dos signos: Áries, o carneiro dourado

Os mitos dos signos: Áries, o carneiro dourado

Introdução

Olá, caros leitores, digam-me, se possível, quem já ficou horas maravilhado pelos contos e feitos que envolviam os signos? Alguns são mais conhecidos, ou as imagens que vem à mente são simples de imaginar. Através de seus nomes, temos ideias do que se tratam seus desenhos.

Alguém já olhou para as estrelas e reconheceu alguns deles enquanto observavam? Senão, eu aconselho, afinal é um exercício muito interessante. Pois, na busca por eles, vocês se depararão com o vasto mundo que circunda a pequena Terra. Identificarão planetas, estrelas, e quem sabe, por sorte, verão magníficos corpos celestes, como meteoros, cruzarem os céus.

Os mitos dos signos: Áries, o carneiro dourado

A mitologia dos signos

Nessa saga, composta principalmente por doze posts, falaremos sobre os mitos que rodeiam os signos. E, segundo esses mitos, por que motivo foram postos lá.

Os signos guiam-se através de uma linha estreita a qual descreve o caminho aparente do Sol em relação à Terra, a Eclíptica. Os antigos a chamavam dessa forma porque nela se formariam os eclipses. E seu plano está a 23º27’ daquele definido pelo equador celeste. Por convenção matemática da época, foram definidas doze zonas de trânsito solar.

Como esse trajeto aparente que o Sol faz é cíclico, pois está relacionado à forma como o enxergamos da Terra à medida que esta executa o movimento de translação em relação a ele, sua duração é de um ano. Nesse período, o Sol “caminharia” ao longo das doze constelações zodiacais. Logo, numa média de um mês não conseguiríamos enxergar a constelação da vez, na qual o Sol situa-se, durante a noite.

Áries, o carneiro dourado

A 1° constelação:
Os mitos dos signos: Áries, o carneiro dourado

Basicamente, a constelação de Áries definia um momento de transição entre estações. O ponto 0° desta constelação, o ponto primaveril, ou ponto Vernal, era um dos momentos em que o Sol cruzava o equador vindo do hemisfério sul. Geralmente, isso ocorria próximo do dia 22 de março, embora que, com o passar do tempo, a posição do Sol no equinócio variou para um observador terráqueo devido a Precessão dos Equinócios. E hoje, esse ponto encontra-se na constelação de Peixes. No hemisfério Norte, inicia-se a primavera e, no sul, o outono.

Embora esta constelação esteja relacionada ao mito grego, babilônicos já representavam o carneiro a muito tempo. E antes dessa figura, diversas culturas associaram outros desenhos à mesma, como o boto para os habitantes das Ilhas Marshall. É uma constelação com pouco brilho, possuindo apenas quatro estrelas de destaque: Hamal (Alpha de Áries), Sheratan (Beta), Mesarthim (Gamma), 41 Arietis.

Atribui-se a esta constelação a história do carneiro que fora enviado para transportar Frixo e Hele em segurança à Cólquida, por sua mãe Nefele, uma ninfa das nuvens, e também conhecida como deusa da hospitalidade.

No mito grego, diz-se que Nefele era uma nuvem que Zeus criou à imagem de Hera para enganar Ixion, e testar sua integridade depois de exibir sua concupiscência por Hera, durante uma festa como convidado do Senhor do Olimpo. Ele falhou em impedir sua luxúria pela deusa, gerando, dessa forma, os Centauros.

Nefele casou-se com Atamante, mas ele se divorciou dela para casar-se com Ino. Seus filhos com a ninfa foram odiados por sua madrasta que criou um plano tortuoso para se livrar dos gêmeos, queimando todas as sementes da cidade, com a ajuda das mulheres do local, para que não crescessem. Os fazendeiros locais, assustados com a fome, pediram ajuda a um oráculo próximo. Ino subornou os homens enviados ao oráculo para mentir e dizer aos outros que o oráculo exigiu o sacrifício de Frixo. Antes de ser morto, Frixo fora resgatado junto com a irmã por um carneiro alado com lãs de ouro que havia sido enviado por sua mãe biológica.
Os mitos dos signos: Áries, o carneiro dourado
Os irmãos foram instruídos a não olhar para a Terra durante seu voo. Helle, no entanto, olhou para baixo e despencou do animal no Hellespont (que recebeu o nome dela, significando Mar de Helle) e se afogou, mas Frixo sobreviveu até a Cólquida, onde o rei Aeetes o levou e o tratou gentilmente , dando-lhe sua filha, Chalciope, em casamento.

Em gratidão, Frixo sacrificou o carneiro a Zeus e deixou seu velo dourado, o velocino de ouro, no templo. A imagem do carneiro fora posta entre as constelações por Nefele, e marca o tempo em que os grãos devem ser semeados, pois Ino, a madrasta, os havia plantado em uma época mais cedo, e mais seca. O que causou a fuga dos jovens.

Post seguinte: O touro que deu asas à imaginação

Referências:

  1. https://en.wikipedia.org/wiki/Aries_(constellation)
  2. http://www.if.ufrgs.br/fis02001/aulas/estacoes.htm
  3. https://es.wikipedia.org/wiki/Ecl%C3%ADptica
  4. http://www.theoi.com/Text/HyginusAstronomica2.html#20
  5. https://en.wikipedia.org/wiki/Nephele

Todas as imagens desta página foram utilizadas apenas para ilustrar o post , as mesmas pertencem ao(s) seu(s) legítimo(s) proprietário(s), por direito.

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.