Recife e a lotação absurda dos seus trens

Recife e a lotação absurda dos seus trens

Recife e a lotação absurda dos seus trens : 

Há um certo tempo atrás, li uma matéria a respeito da observação de um fenômeno que, até então, só havia sido evidenciado no universo microscópico, na dimensão quântica.

Dizia que cientistas haviam observado que uma fita muito fina vibrava e não vibrava ao mesmo tempo. Provando, dessa forma, no mundo macroscópico, que um corpo poderia ocupar dois espaços, dois estados, ao mesmo tempo, como as partículas elementares.(https://www.nature.com/nature/journal/v464/n7289/full/nature08967.html)

Recife e a lotação absurda dos seus trensRecife e a lotação absurda dos seus trens

Em outro momento, ouvi, vindo de uma fonte leiga e humilde, um comentário, que ia contra o que muitos de nós havíamos aprendido na física clássica básica, de que dois corpos ocupavam o mesmo espaço ao mesmo tempo. Dizia sim, ser possível. Tal comentário foi tratado de forma jocosa, todos nós rimos. Mas se pensar bem, esse comentário, embora hilário, ironicamente, trazia um conteúdo crítico.

O experimento que reproduziria o fenômeno citado seria de fácil acesso aos observadores. E, por incrível que pareça, não precisaria de uma megaestrutura como a do LHC, na Europa, para isso. Estamos tratando da superlotação no transporte público ferroviário pernambucano.

Na minha infância, lembro bem que essa superlotação não existia de tal forma. As lotações no transporte público de grandes regiões urbanas não são nenhuma novidade. Mas o que levou especificamente a malha ferroviária da região metropolitana do recife – RMR – a experimentar tamanho fluxo de passageiros? Analisaremos, por conseguinte, alguns fatores que contribuíram com essa situação.

 

As integrações

Não se pode negar que conectar diversas linhas rodoviárias com o metrô, na maioria das vezes, facilita o acesso de diversos usuários em menos tempo às demais localidades da RMR.

Mas o grande problema está exatamente em fazer o escoamento desse volume de pessoas, que beira a média de 400 mil por dia, com apenas 34 trens divididos entre suas linhas eletrificadas – centro e sul – e 5 VLT para linha diesel (http://www.cbtu.gov.br/index.php/pt/sistemas-cbtu/recife), e que grande parte já apresenta problemas com a manutenção de danos oriundos principalmente de ações de vandalismo.

A ampliação do número de integrações fez com que linhas interbairros desaparecessem, ou reduzissem em números de veículos, tornando praticamente inviável e mais complicado para usuários que tinham essas linhas como opção.

Falta de investimento

Forçar o metrô a transportar esse montante de pessoas das integrações sem receber nada em troca também fez com que esse sistema falisse. O fato é que boa parte dos usuários que utilizam as linhas provêem das integrações e o metrô serve de ponte que conecta uma integração à outra, ele é o meio do caminho, e nesse sistema, apenas empresas do consórcio de ônibus urbanos lucram.

Com isso, temos um sistema ferroviário decadente que depende de subsídios governamentais, cada vez mais escassos, que não consegue investir em qualidade e ampliação de serviços. (http://blogs.diariodepernambuco.com.br/mobilidadeurbana/2015/02/metro-do-recife-duplica-o-numero-de-usuarios-e-tem-pior-receita-do-pais/)

 

Dívidas

Sem receita, é óbvio que tal sistema não se manteria em perfeito estado por muito tempo. A linhas correram, e ainda correm, o risco de pararem de funcionar devido a dívidas com a empresa fornecedora de energia elétrica. Problema, esse, provocado pelo atraso, e falta, de repasses do governo estadual, sendo este último responsável por implantar essa estrutura. (http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/geral/noticia/2015/12/15/por-dividas-de-energia-metro-do-recife-pode-sofrer-paralisacao-212628.php)

 

Concluindo

Vemos, dessa forma, um transporte extremamente essencial para muito pernambucanos suspirando em seus últimos momentos até que inevitavelmente venha a parar de funcionar. E quem sabe, fiquemos a utilizar bondinhos novamente.

Leia também : http://realidadesimulada.com/experimentos-mostram-que-alguns-carros-autonomos-podem-melhorar-drasticamente-o-fluxo-de-trafego/

Davson Filipe é Técnico em Eletrônica, WebDesigner e Editor do Realidade Simulada – Blog que ele próprio criou com propósito de divulgar ciência para o mundo. Fascinado pelas maravilhas do universo, sonha em um dia conhecer a Nasa.

  • Fernanda

    Parabéns ao editor! Texto muito bom.

  • Diego Rodrigues

    😀 Cara! Eu havia pensado nessa imagem de tópico quando vi o tema.